terça-feira, 30 de abril de 2013

Caro Antonio Ernesto Martins


Acabei de ler as 493 páginas de seu livro SACUDINDO O PÓ DA ESTRADA (editora KBR - www.kbrdigital.com.br ) com uma sensação de alívio. Devorei sua obra em 10 dias e fiquei surpreso com a intensidade existencial, cultural, e, sobretudo, com a sua coragem ao abrir todas as janelas de seu inconsciente para a visitação pública.

Você (foto do meio), Jimmy Page (foto abaixo), a querida Eldo Pop FM, a amada Fluminense FM, o nosso eterno Circo Voador duelam com o lado B que navega no mundo dos devastados pela cocaína e, sobretudo, pelo desleixo afetivo que assolou, assola e, lamentavelmente, ainda vai assolar muita gente que, por bilhões de razões não se encaram no espelho.

O que também me impressionou em seu relato, despejado num texto despreocupado com "eroditismos" e concentrado no linguajar informal, das praias, ruas, cinemas, teatros, bocas de fumo, foi a sua própria lucidez em admitir (em vários momentos) que já estava viciado mas não queria admitir, mas nem por isso interrompeu suas atividades profissionais e intelectuais.

Ao contrário de outros livros do gênero "superação" (estou de saco cheio dessa palavra) que li, a sua obra é um relato. Reto, objetivo, como uma bala de fuzil no Acari, uma declaração de amor numa barraca de acampamento em Bambuí (Maricá) o beijo no rosto de um filho. Meu chapa, com o seu portugues popular, desprendido, seu livro tem tudo para chegar a todas as pessoas que diretamente estão envolvidas com a riqueza existencial e também aquelas que o eclipse das drogas/álcool/lambança afetiva.com.br torna a vida quase impossível. Com direito a síndrome do pânico e a contemplação de nossa burra, imbecil e inócua arrogância perante Deus.

Livraço, Ernesto! Aos puristas, lembro que o texto está longe de ser formal, esmerado, elitista. Muito longe. E acho que mora aí um dos diferenciais deste livro que, com certeza, vai fazer muita gente sacudir o pó da estrada rumo a felicidade plena e, evidentemente, real. Parabéns!

P.S. - Estou orgulhoso de ter escrito o texto de apresentação baseado nos originais que você me enviou.