sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Comercial de cartão de crédito prega o mau caratismo, o egoísmo e a molambada existencial

O comercial está aí embaixo e já foram feitos vários seguindo a mesma mensagem: dane-se você! Esta é a mensagem da famigerada campanha.

Uma senhora entra numa loja para comprar uma boneca para “a minha netinha” e é atraída pela a genocida Chucky (foto), protagonista de filmes de terror. A senhora diz para a vendedora que a netinha vai amar Chucky porque adora bonecas.

Nesse momento, a boneca faz uma cara de horror para a vendedora, sem que a senhora veja pois está pegando a carteira na bolsa. A senhora vai pagar e a vendedora interrompe perguntando: “Posso te falar uma coisa?”

As pessoas de bem, de boa índole, solidárias, de caráter acham que ela vai avisar “olha, senhora, essa boneca é a Chucky, uma assassina. Comprá-la é a certeza de que sua neta, a senhora e a família toda serão exterminadas”.

Só que a vendedora diz outra coisa: “pagar com o cartão X é muito melhor”. 

Sim, na cara limpa, na desumanidade empurra a consumidora para o precipício graças a cobiça, a omissão, enfim, a desumanidade ampla, geral e irrestrita.

Ela termina de falar e entra um locutor: “As vezes é bom ter um amigo para avisar. Pagar com o cartão X é mais prático, moderno e seguro”.

Terminada a frase, a boneca dá um soco dentro da bolsa, que fura. A vendedora se assusta, mas é incapaz de dar o verdadeiro aviso. O comercial termina.

Esse tipo de mensagem deve estar fazendo muita gente pensar, especialmente as crianças. Afinal, força, induz, cultua que o dane-se, o jogar os outros numa roubada é o melhor caminho, como proclama a sociedade dos egoístas, arrivistas, interesseiros, a turma do "viva eu!".

Amizade real? Solidariedade? Companheirismo? Nada disso. O comercial vende ganância, trairagem, desonestidade social, falta de ética afetiva.


O pior é que um dia desses li que está fazendo o maior sucesso.