quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Assisti de novo ao filme Faroeste Caboclo

                           
                                                      




Texto restaurado e reeditado
Assisti de novo (em DVD) ao filme “Faroeste Caboclo”, de René Sampaio. Não é um filmaço mas está longe, muito longe, de ser um fiasco. Filme bom! O elenco é o grande destaque, especialmente Fabrício Boliveira como João de Santo Cristo, Ísis Valderde (espetacular como Maria Lúcia) e Antonio Caloni que mata a pau como um policial corrupto. Outros destaques: o uruguaio Cesar Troncoso como Pablo e Felipe Abib, como Jeremias.

Todo mundo sabe, mas é bom lembrar que o filme foi inspirado no clássico “Faroeste Caboclo”, de Renato Russo, lançada pela Legião Urbana em 1987, mas em nenhum momento o filme sequer lembra ou fala da banda. O filme se passa em Brasília entre o final dos anos 70 e 1981.

Nota zero para o som na versão para cinema. Muitos diálogos praticamente são impossíveis de entender. Achei que o cinema brasileiro já tinha superado essa grave distorção, mas pelo visto não. Em suma, vale o ingresso.

Resenha do site Adoro Cinema: “João (Fabrício Boliveira) deixa Santo Cristo (sertão nordestino) em busca de uma vida melhor em Brasília. Ele quer deixar o passado repleto de tragédias para trás.

Na capital conta com o apoio do primo e traficante Pablo (César Troncoso), com quem passa a trabalhar. Já conhecido como João de Santo Cristo, o jovem se envolve com o tráfico de drogas, ao mesmo tempo em que mantém um emprego de carpinteiro.


Em meio a tudo isso, conhece a bela e inquieta Maria Lúcia (Ísis Valverde), filha de um senador (Marcos Paulo), por quem se apaixona loucamente. Os dois começam uma relação marcada pela paixão e pelo romance, mas logo se verá em meio a uma guerra com o playboy e traficante Jeremias (Felipe Abib), que coloca tudo a perder.”