terça-feira, 27 de maio de 2014

A cada 10 dias uma pessoa morre defendendo o meio ambiente no Brasil - Por Marcio Astrino - Greenpeace Brasil

No Brasil, a cada dez dias uma pessoa morre por defender o direito à terra e ao meio ambiente. Somos, de longe, o país mais perigoso para as lideranças que arriscam suas vidas combatendo a devastação ambiental. O dado é da organização não-governamental Global Witness.

Segundo a pesquisa, entre 2002 e 2013, 448 pessoas morreram no Brasil por defender o meio ambiente. Muito mais que o dobro do índice em Honduras, que está em segundo lugar com 109 assassinatos.

Em 2013, segundo relatório anual realizado pela Pastoral da Terra, 20 dos 34 assassinatos registrados no campo, e 174 das 241 pessoas ameaçadas de morte ocorreram na Amazônia. Lá estão 55% das Populações Tradicionais que, no ano passado, foram vítimas de algum tipo de violência.

Foi também para lutar contra essas injustiças que há mais de uma década o Greenpeace chegou à Amazônia. Na última semana, lançamos a campanha Chega de Madeira Ilegal, que pretende não só impedir que a floresta tombe, mas também lutar contra a violência à qual as pessoas que vivem na floresta são submetidas.

Garantir a sobrevivência da floresta é lutar por milhões de pessoas que dependem dela para viver. A extração ilegal de madeira na Amazônia segue a todo vapor. E, como sempre, continua gerando conflitos e ameaçando muitas vidas.

Mais de 20 mil brasileiros já enviaram mensagens à presidente Dilma e aos pré-candidatos à presidência pedindo providências para que as ilegalidades no setor – e a violência que vem nesse rastro – ganhe um ponto final.  Com a sua ajuda podemos continuar denunciando as ilegalidades e o descontrole do setor madeireiro na Amazônia.

Junte-se a nós: www.greenpeace.org.br