sábado, 10 de maio de 2014

Copa no Brasil: custo destas arenas/estádios de causar inveja ao mais rico dos sheiks árabes - por Marcos Kilzer

Ícone do mercado cultural brasileiro, sócio da gravadora Coqueiro Verde, Marcos Kilzer escreveu e postou o texto abaixo em sua página no Facebook. Li, gostei e pedi autorização a ele para reproduzir aqui. Vale à pena ler:


Minha família sabe como gosto de esportes. Sabem como sou Fluminense e amo futebol. Minha primeira emoção foi na copa de 1958 e eu tinha 9 anos. Curti todas as copas desde então e vibrei com a comoção causada pelas copas ganhas e sofri também pelas perdidas.

Hoje, ao ver os custos destas arenas/estádios de causar inveja ao mais rico dos sheiks árabes, de ver a insanidade de gastos em obras desnecessárias, e com o dinheiro público enchendo os cofres das mesmas empreiteiras de sempre, de ver governante dando pontapé inicial cercada de puxa sacos, quando deveriam tomar um pontapé na bunda e nas urnas, não me vejo com nenhuma das sensações de euforia, entusiasmo, vibração e vontade que o Brasil vencesse, que tive nas copas passadas.

Não vibrarei contra, mas se perder não sentirei um mínimo de frustração. Minha vida seguirá como hoje, com minha mulher, com meus filhos e netos quando pudermos estarmos juntos nas nossas datas especiais.


Eu cresci ouvindo dos meus professores que "o Brasil é o país do futuro". Ouvi muito isso toda a minha adolescência e juventude. Aos 65 anos eu digo que não foi, não é, e não será nunca !! A corrupção é endêmica nesse país. Desde que me entendo só mudam os nomes, mas a auto locupletação dos políticos segue rigorosamente a mesma. 

O povo, aquele simples mortal, este que se foda !!!