quinta-feira, 19 de junho de 2014

Inimigos Pagos

                                                  

Tempos atrás recebi este e-mail do leitor Carlos Rogério Peçanha Dutra, que atualmente mora no interior de São Paulo. Publico a mensagem e minha resposta.

“Caro LAM,
Sou seu leitor há muitos anos e sinto muita falta de suas reportagens artigos e resenhas no Caderno 2 do Estadão, que movimentaram o jornal nos anos 80 e 90. Não sei se você poderá me ajudar, mas estou procurando uma crônica sua intitulada “Inimigos Pagos”, que você publicou em um jornal de Niterói. 

Não sei se foi no Fluminense, LIG, Folha de Niterói ou num site da cidade.
“LAM, estou precisando muito deste artigo por causa de uma questão judicial. Minha empregada doméstica me propôs que eu “comprasse” as férias dela porque estava precisando. Apesar de ser contra este procedimento, comprei as férias dela, que continuou trabalhando normalmente. Para a minha surpresa, este mês ela entrou com uma ação na Justiça do Trabalho argumentando que eu não concedi as tais férias. Não, LAM, eu não tenho a cópia do recibo provando que paguei, que comprei as férias.

“Fiquei enfurecido, triste, magoado e contratei um advogado. A audiência vai acontecer e eu disse ao advogado que você tinha escrito um artigo chamado “Inimigos Pagos” narrando justamente uma péssima experiência que teve com uma empregada doméstica que também o traiu. Meu advogado comentou que o artigo poderia sensibilizar o juiz apesar de sabermos que em ações trabalhistas de domésticos em 90% dos casos perdemos, não se sabe bem por que.

“Pergunto, caro LAM, você ainda tem esse artigo? Passei a semana tentando localizar o LIG na internet e acabei sabendo que o jornal fechou. Na Folha de Niterói também não encontrei nada e no Fluminense idem. Pior: lembro ter lido um artigo seu há alguns anos contanto que a CPU de seu computador pegou fogo, o incêndio se alastrou pelo escritório da sua casa e que você foi salvo pelos extintores do prédio. Temo que esse artigo sobre inimigos pagos estivesse no computador incendiado.

“Desculpe o incômodo e agradeço se puder responder por e-mail ou em seu magistral blog COLUNA DO LAM. Abraços do Carlos Rogério,  Campinas SP.”
Carlos Rogério, obrigado por ter escrito. Infelizmente “Inimigos Pagos” estava no computador que pegou fogo e que gerou uma ação na Justiça contra o fabricante.

Lembro que “Inimigos Pagos” nasceu de uma traição. Uma moça que trabalhava em minha casa como diarista, mas que eu decidi assinar carteira, pagar INSS, enfim, tudo nos conformes, também entrou na Justiça contra mim pela mesma razão: ela pediu que eu comprasse suas férias e eu, para ajudar, comprei. Foi o suficiente para que eu acabasse condenado porque, além de pústula, bandida, mau caráter e ingrata, a meliante apareceu na audiência com cinco “testemunhas profissionais” (meu advogado disse que tem gente que ganha a vida sendo testemunha) que disseram horrores sobre mim. Foi difícil me conter ouvindo aqueles horrores.

O artigo abordava ainda os prejuízos que esses inimigos pagos provocam. Desde a quebra de copos baratos até queima de ar condicionado. Em geral, pequenos prejuízos que relevamos. Amigos e amigas dizem que eu deveria usar diaristas, duas vezes por semana. Mas, como bom babaca que sou, dei chance a tal mulher que estava trabalhando em minha casa. Puxa saco, sorridente, vivia cantarolando, quebrando as coisas e, a toda hora, pedia um dinheiro adiantado. Babaca, dei a ela em outubro um computador já que comprei uma máquina nova. Ela dizia era para a afilhada adolescente. Babaca, dei o computador. Aproveitei que não estava mais usando um celular LG e acabei dando também.

Não encontrei o artigo que você pediu onde, lembro bem, conto a história do dia em que a inimiga paga, se aproveitando que eu estava em São Paulo, queimou o fusível de minha casa só para não vir trabalhar e alegar que estava sem energia elétrica. Eu, babaca, relevei mais essa. A cordilheira de achaques e ataques dos Inimigos Pagos que pus no artigo é bem maior. Vou continuar procurando o artigo e se achar te envio por e-mail e republico aqui.