sábado, 14 de junho de 2014

Livros eletrônicos

Peguei um iPad emprestado para ler meu livro eletrônico (e-book) MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA NA SELVA DO JORNALISMO, meio desconfiado. Como ler um livro sem papel, sem aquele cheirinho característico, sem marcar as páginas, ler na cama, no sofá, num posto de gasolina enquanto o carro é lavado? Pois, para a minha surpresa, o iPad me ganhou e me tornou viciado antes mesmo de chegar a página 15.

Eu que estava banhado de ceticismo, não acreditei quando, na cama, li de lado, de barriga pra baixo, pra cima, com o abajur aceso, apagado (o equipamento tem luz própria) e marcando as páginas com uma única digitada. Rubem Fonseca e João Ubaldo tem razão. Não dá para ter tanto preconceito com as novas tecnologias do bem. Ah, sim, eu que já perdi algumas centenas de livros pela vida, agora posso guardá-los na biblioteca do iPad que tem espaço para cinco mil obras. Não esqueci que o equipamento não é meu.

Imaginem ler “O Alienista” de Machado na sala de espera do dentista, por exemplo? Sim, falei do “cheirinho de livro” e soube que existe um software só de aromas que o usuário pode instalar no equipamento. Mais: são livros que jamais vão ficar amarelos, jogados, perdidos, mal tratados. Falo de mim, de meu amor visceral por eles e, ao mesmo tempo, da falta de uma biblioteca em casa digna de guardá-los com o respeito que merecem.

Estou citando o iPad da Apple porque foi o único que experimentei. Gostei de seus 24 centímetros de altura por 19 de largura, poder optar pelo tamanho das letras, marcar observações, mas não sei se outros tablets são tão bons ou até melhores do que esse. Leio muito sobre o sistema operacional Android que equipa tablets concorrentes do iPad e queria muito que os leitores que já usam essas pequenas máquinas dissessem quem é quem.

Fiz um rápido comparativo na Web e, pelo que entendi, o iPad é o maior (em dimensões) de todos. Minha observação procede? Percebi, também, que qualquer espirro no iPad significa ter que ir na lojinha da Apple e comprar um aplicativo enquanto que vários outros tablets já vem com um monte de programas instalados e vários outros gratuitos além de serem mais baratos do que o filho pródigo da Apple. 

Conto com as opiniões de vocês. Espelho, espelho seu, existe tablet melhor do que esse quase meu?