quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

"Desfiles de escolas de samba sempre foi momento de glória dos piores criminosos do Rio de Janeiro; traficantes de drogas, milicianos, bicheiros, assassinos”

                                                                            
                                                                          
 


Li muitas mensagens enfurecidas (com razão) sobre o conluio da escola de samba Beija Flor de Nilópolis, que desfilou graças ao jabá de R$10 milhões dado pelo sanguinário e corrupto ditador Teodoro Obiang, há 35 anos matando, torturando e roubando para se manter no poder na da Guiné Equatorial.

O jornalista Cezar Motta abriu um dos debates do Facebook. Ele escreveu:

Até entendo a indignação de amigos com o "patrocínio" de um ditador sanguinário à Beija Flor. Mas vamos pensar bem: o que é o desfile de escolas de samba? Sempre foi o momento de glória dos piores criminosos do Rio de Janeiro, traficantes de drogas, milicianos, bicheiros, assassinos. E ninguém nunca se incomodou! César Maia, como prefeito, e Moreira Franco, como governador, foram à avenida trocar beijinhos e lamber os pés de Castor de Andrade, Aniz Abraão Davi, Luisinho Drumond, Capitão Guimarães e outros criminosos, assassinos, que compunham a versão tropical da máfia. Na Globo, eram todos tratados como deuses durante os desfiles. Aliás, o Rio de Janeiro é controlado por máfias: do tráfico, do bicho, dos milicianos (pra quem não sabe, quadrilhas de matadores de aluguel formadas por PMs e policiais civis), dos ônibus, dos táxis, do Detran, dos serviços públicos, da Previdência Social, de tudo! Todos financiadores do pior quadro de parlamentares do país, que envergonha os cidadãos fluminenses no Congresso Nacional (e os cariocas gostam de criticar Sarney, Jader, Renan etc..). Todos controladores de bancadas na Câmara de Vereadores e na Assembleia Legislativa. Era natural a globalização, que a coisa se internacionalizasse...

Antonio Gondim Neto - Perfeito !!!

Alexandre Vique - E essa escola vai terminar no Lava Jato. O dinheiro foi entregue pelas empreiteiras que tem contratos lá. Xiii

Eliane Kalu - Excelente !

Heloisa Martins de Carvalho - Cezar Motta, não bastam as bandalhas nacionais? Será que justifica internacionais também???

Cezar Motta - É o lado escuro do Rio de Janeiro. A tolerância com o crime, com os bicheiros, com o tráfico, com as máfias, com os maus politicos. Alguém inteligente chegou a me dizer: "Ah, mas o bicheiros não incomodam, ficam lá no mundo deles, brigando por territórios e se matando entre si...". Absurdo.

Carlos Magalhães da Silveira - Cesar Motta, você tem toda razão, mas deve existir forma de punir a diretoria d Beija Flor que negociou a *grana* sem atingir o carnaval.

César Murilo Rocha - Muito bom, Cezinha! Um retrato do que somos.

Cátia Moraes - Cezar, não acho que ninguém "nunca se incomodou". Como carioca e como jornalista, vi (e até fiz) muitas matérias sobre esse compadrio, que, como tanta coisa no Rio, em SP, em Brasília, acabou sendo tolerado.

Beatriz Bomfim- Há muito pedimos uma discussão séria sobre os patrocínios às escolas de samba. Não acho que a maioria das pessoas, no Rio, tenha esse lado escuro. Mas o ditador, com lavagem de dinheiro das empreiteiras, foi demais. Lava-jato na Beija Flor!!!!

Eliane Kalu - Também não acho que se deva trucidar a Beija-Flor. O problema do Rio é muito maior. Precisamos começar e falar desse lado obscuro do Rio SIM. Dessa mistura de tráfico, bicho e política. Aviso: sou carioca e preocupada com as máfias reinando no Estado (sobretudo na cidade). Máfias essas que já estão no Congresso Nacional.

Romildo Guerrante - O dinheiro é do BNDES, que financiou as obras na Guiné com juros favorecidos. Tem de clarear isso aí. Todos os países que ram perdão da dívida com o Brasil comprometeram-se a fazer obras com empreiteiras brasileiras em seguida. É parte dos 435 bilhões que o Tesouro, agora encalacrado, passou ao BNDES para tocar essas coisas. Eike inclusive. Dinheiro do qual não teremos retorno.

César Murilo Rocha - Esse "laissez faire" é nossa marca registrada como cidadãos. Toleramos todos abusos e incompetências, desde que não nos afetem individualmente. E ainda falamos da indolência alheia...

Heloisa Martins de Carvalho - Bem, Beatriz Bomfim e Cezar Motta, não vamos longe... A Prefeitura de Maricá, se não me falha, doou 7 milhões no ano passado para a Grande Rio "prestigiar" a cidade de Maricá. Maricá, do nada, sem expressão política ou social alguma, virou samba enredo...Ver mais

Clemey Ericson Marquez Verdade, muito bem dita!

Cátia Moraes - E cada cidade com suas 'especificidades'. Ainda ontem, conversando com uma jornalista que se mudou para Brasília há anos, ela me falou das relações perigosas, nebulosas, incestuosas, que permeiam a vida no planalto. Pessoal e profissionalmente.

Jacyra Sant'Ana Concordo com o Cezar Motta, esse problema é antigo, e sempre foi criticado, sim, de leve, em alguns jornais. Mas nunca veladamente como agora, com a facilidade e extensão que a rede social permite, ainda bem. Quem sabe pode levar as escolas a repensarem esse conluio vergonhoso?

Wallace Grecco - O que fizeram e fazem com o Brasil é COVARDIA, é MALDADE. E vai piorar.