sexta-feira, 20 de março de 2015

Até pra corruptos sou contra a pena de morte

A corrupção é um crime tão hediondo quanto a exterminação em massa de inocentes promovidas por seriais killers, privados ou estatais. A roubalheira mata em hospitais falidos, na (jn) segurança pública, enfim, quando o Estado é a atacado neste nível crítico que o Brasil sofre de novo atualmente, só nos resta lutar para que as pessoas de bem reajam e coloquem os meliantes na cadeia. E berrar alto, muito alto para que as forças armadas (que também tem muitos corruptos a bordo) não se juntem aos farsantes e partam para um golpe de estado.

Você vai dizer que “a esta altura é impensável um golpe no Brasil”. Pois saiba que em 1963 pensava-se assim, “golpe nem a pau” e veio 1964 e, pior, baixou o 13 de dezembro de 1968, quando costa e silva (assim mesmo, em minúsculas) assinou o AI-5 e o Brasil caiu nas trevas.

O momento não é de contemplação, mas de atenção, muita atenção. Quanto a pena de morte para corruptos, proposta por alguns leitores desta Coluna, sou terminantemente contra. Parte do judiciário também nada em corrupção e ia mandar matar muita gente em troca de grana. Há ainda o aspecto humanitário, que condena a pena capital.

Penso que a prisão perpétua, tanto para colarinhos brancos e traficantes (são todos iguais nessa noite suja), cabe como luva.


Ou não?