quarta-feira, 25 de março de 2015

Projeto Cine Jazz retorna ao Museu do Ingá nesta quinta-feira

    Herbie Hancock
     Museu do Ingá
    Paulo Renato Rocha
Um dos mais importantes projetos musicais do país é o “Cine Jazz”, criado pelo produtor e pesquisador musical Paulo Renato Rocha, uma das maiores autoridades brasileiras em música instrumental que conheço.

O projeto Cine Jazz está de volta ao Museu do Ingá e a primeira edição deste 2015 acontece nesta quinta-feira, as 19 horas, com a exibição de um filme de uma apresentação do pianista Herbie Hancock, realizada em Bremen, Alemanha, em 1974. No show o pianista é acompanhado pelo grupo de jazz-funk The Headhunters.

O musico convidado desta reestreia Arthur Maia, um dos maiores baixistas do mundo, que participa de uma palestra após a exibição do filme e se apresenta em um pocket show encerrando o evento.

O projeto “Cine Jazz” tem curadoria do produtor e pesquisador musical Paulo Renato Rocha e tem apoio da Secretaria Municipal de
Cultura, do Museu do Ingá (FUNARJ) e da Calvin Comunicações. Entrada gratuita, classificação indicativa, 14 Anos

O que é

“Cine Jazz” é um evento multimídia que reúne exibição de filme, palestra e pocket show. A proposta básica é democratizar e ampliar o público do workshop, tornando-o acessível aos leigos e amantes da música que não dominam a técnica e a teoria musical, através de um formato didático mais atraente e original.

Projeção do filme dura 30 minutos e aborda tema e instrumento específico, seguido de palestra e pocket show com o artista convidado, em edições mensais.

O objetivo é atrair e incentivar formação de plateias interessadas na história e no desenvolvimento de estilos musicais tradicionais e músicos consagrados, pouco divulgados pelas mídias convencionais, como o jazz, a bossa nova e a musica instrumental brasileira.

Paulo Renato Rocha é jornalista e produtor musical carioca. Em 1968  ingressa no Colégio Santo Inácio em Botafogo, torna-se  amigo de Bilinho Blanco e passa a frequentar a casa do compositor Billy Blanco, um dos mentores do movimento Bossa Nova. Em 1972 a família muda-se para Niterói, onde conhece o produtor Aloysio Reis que o leva  para a CBS Discos (Sony Music) em 1977.

Assessor de Imprensa do cast internacional da gravadora trabalha com artistas de renome internacional como Gerry Mulligan, Dexter Gordon, Weather Report, John McLaughlin, George Duke e Earth Wind & Fire.

Em 1982 torna-se produtor musical na Danceteria Mistura Fina (Itanhangá) e trabalha com os grupos da nova cena rock que então impera no país: Legião Urbana, Titãs, Ultraje a Rigor, Lobão, e Barão Vermelho.

Em 1984 o guitarrista Victor Biglione o contrata para ser o diretor artístico da sua recém aberta casa The Tinker, no Leblon, e lá produz  shows da então crescente cena da música instrumental brasileira:  Marcio Montarroyos, grupo Azymuth, Ricardo Silveira, grupo Garage, Hermeto Pascoal, Celso Fonseca, grupo Cama de Gato, etc.

No final de 1985 é contratado pelo recém aberto Jazzmania, famoso clube de jazz de Ipanema. Na casa, além de produzir  temporadas de artistas como Wayne Shorter, Joe Pass, Toots Thielemans, Wynton Marsalis e Pat Metheny, arregimenta e produz, no final dos anos 80,  jam sessions  com músicos brasileiros e estrangeiros participantes do extinto Free Jazz Festival, entre eles  Art Blakey, Max Roach, Herbie Hancock, George Benson, Robertinho Silva, Grover  Washington Jr., Raul de Souza, Branford Marsalis, Mauro Senise, Ron Carter, Nico Assumpção, Tony Williams, Raul Mascarenhas, Jimmy Smith, Joe Sample,  Carlos Malta e Marcus Miller entre muitos outros.

De 1988 a 1990 produz e apresenta o programa “Studio 92 O instrumental Contemporâneo” na rádio Globo FM, com o melhor da música instrumental. Em 1993 ocupa o cargo de Diretor Artístico do selo Niterói Discos, da Prefeitura de Niterói, lançando nos anos seguintes mais de 100 títulos com os trabalhos de artistas como, Marcos Nimrichter, Dino Rangel e Kiko Continentino.

De 1999 a 2001 produz o projeto Palco Livre da MPB, da Prefeitura de Niterói, coordenado pelo cantor e compositor Sergio Ricardo. De 2008 a  2010 ocupa o cargo de Stage Manager  (Diretor de Palco) do Teatro Municipal de Niterói. Em 2011 cria e produz o projeto multi-mídia Cine Jazz no MAC Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Desde 2013 é o curador do projeto Cine Jazz UFF que acontece mensalmente no Museu do Ingá em Niterói com apoio da FUNARJ.


De 4 a 7 de dezembro de 2014 organiza e faz a curadoria do 1º Festival Niterói Cine Jazz UFF , uma realização da Secretaria Municipal de Cultura de Niterói e do Centro de Artes da Universidade Federal Fluminense, que reúne no Teatro do Centro de Artes artistas como Jaques Morelembaum, Lula Galvão, Tutty Moreno, Nivaldo Ornelas,  Pascoal Meirelles, Osmar  Milito, Sérgio Barrozo, Paulo Braga, Marcelo Martins e um cast de grandes artistas da música instrumental brasileira.