quarta-feira, 8 de abril de 2015

Combo, a maior roubada, ou, arranque os monopólios da sua vida

Monopólios são as ferramentas nefastas do capitalismo. Alguns tem apelidos engraçadinhos como, por exemplo, “combos”. Você, bem intencionado, assina uma TV, mais internet, mais telefone de uma mesma operadora. Aí, quando dá um problema, cai a casa toda. Pior: para sair fora fica quase impossível porque a teia de aranha dos combos é quase intransponível.

Combo é monopólio e monopólio, em qualquer lugar é roubada, veneno, jogo baixo. Por exemplo, se você usa webmail da Microsoft, seu computador é Windows e, para piorar, você usa o Skype (também pertence a Microsoft), está usando serviços da mesma empresa. Melhor variar.

Não sou exemplo de nada, mas como este blog pertence ao Google, estou tirando meu e-mail do Gmail (estou indo para o Yahoo que ainda é rival do Google) e, eventualmente, usando programa de mensagem Eudora. Meu navegador não é do Google (Chrome) e sim Opera, que instalei hoje e estou gostando. Enfim, evito concentrar poder em um monopólio só.

E, penso, deve ser assim em tudo na vida. Quando nos “fidelizamos” (palavrinha bonitinha) a uma marca acabamos vítimas dessa marca, que manipula, usa, abusa a qualquer hora. O You Tube não detém apenas o monopólio do mercado de vídeos na internet. Ele tenta censurar e até determinar o que devemos ou não publicar em seus canais. Antídoto: pague 60 reais por mês e alugue um streaming de vídeo (tem um monte na busca do Yahoo). Ou você acha que a liberdade é menos importante do que 20 dólares mensais?

Gasolina? Petrobrás jamais porque: 1 – Não vou dar mais dinheiro para a roubalheira, que até segunda ordem continua agarrada a jugular da paraestatal; 2 – Não vou alimentar o monopólio. Alterno gasolina da Shell com da Ale e ponto.

Isso é delírio meu ou tenho razão?

P.S. – “Citizenfour”, filme vencedor do Oscar de melhor documentário este ano, conta a história de Edward Snowden. Agora, o diretor Oliver Stone começou a filmar a ficção “Snowden”, tendo Joseph Gordon-Levitt no papel principal. Por isso, voltaram as notícias de que nossos e-mails são lidos por arapongas digitais. Vocês tem alguma dúvida? Claro que os webmails gratuitos multinacionais entregam tudo. Quando escrevo uma mensagem não imagino várias pessoas lendo porque meus assuntos não interessam a ninguém, só a quem recebe a mensagem. Sou café pequeno na grande rede. Solução? Não há solução, mas todo mundo sabe que o celular mais seguro (criptografado, etc) é o velho Blackberry, usado, inclusive, por Barack Obama por orientação da Cia.