quinta-feira, 23 de abril de 2015

Na galeria de hoje, Jimi Hendrix

                                   Monterey Pop Gestival, 1967
É a segunda vez que publico uma sessão de fotos variadas que busquei na internet, formando uma especie de galeria virtual. A primeira, semanas atrás, foi com Janis Joplin. Hoje, o convidado é Jimi Hendrix.
Por que? Não sei. Saudade do cara. Tenho pensado muito nele ultimamente, passei a semana ouvindo vários discos, enfim, felizmente não há explicação para o que sinto.
                               Hendrix era beatlemaníaco radical. Paul McCartney gosta                           de contar que o lendário álbum Sgt Pepper´s Lonely Hearts Club Band foi lançado numa sexta-feira. Domingo, os quatro Beatles foram assistir Hendrix no teatro Saville, em Londrese Hendrix tocou a f
faixa título do disco (video acima).                                                                                                       


Os Beatles, boquiabertos, assistem Jimi Hendrix tocar Sgt. Pepper´s em 3 de junho de 1967,
três dias depois do disco ser lançado.
                            Palco
                        Palco
                                    Havaí
                     Dinamarca
           Nova Iorque
                 Paris
     Nova Iorque
                                Suécia
San Francisco - CA
                                    Londres
    Nova Iorque
    Havaí
               Miami
                                          Havaí
                                         Ex-namorada hoje. Paris
                    Com Joan Baez, Los Angeles
Com as "Mamas" dos "The Papas" em San Francisco
                   Chicago
                     Copenhagen
Equipamento básico usado em Woodstock
                          Frankfurt
Londres
                     Londres
            Chicago
                   Dinamarca
                                  Seattle
    Últimas fotos, um dia antes de morrer (1) - Londres
    Últimas fotos (2)- Londres
Últimas fotos (3) - Londres
Hoje não é aniversário de nascimento, nem de morte. Não é nenhuma data especial para Jimi Hendrix, mas como disse lá em cima senti saudade dele ao longo dos últimos dias.
Para quem não sabe (e todo mundo tem o direito de não saber), James Marshall Hendrix nasceu em Seattle (EUA) em 27 de novembro de 1942 e morreu em  Londres em 18 de setembro de 1970. Tinha 27 anos.
Passou a adolescência como um garoto pobre de Seattle, praticando pequenos roubos em lojas mas sempre com a intenção de perturbar a ordem. Foi para o exército, serviu como paraquedista e saiu antes do apogeu da guerra do Vietnã.
Seu pai, Al Hendrix, deu de presente a sua primeira guitarra. Jimi aprendeu a tocar sozinho e saiu de casa aos 19 anos. Não voltou mais. Tocou em botequins, bordeis, pensões, estalagens. Passou fome, mas nunca perdeu o bom humor, a disposição e a esperança. Em 1965 entrou para a banda de Little Richard, onde levou um calote. Trabalhou 12 semanas e não recebeu nada. Foi embora, voltou para os bares, de cidade em cidade, até começar a ganhar uns trocados no "Cafe Whah?" de Nova Iorque, em 1966.
Seu genialidade começou a ganhar fama e o baixista do inglês The Animals, Chas Chandler, foi vê-lo no Cafe. Impressionado convidou Hendrix para se mudar para Londres. O músico topou e entrou num avião com a roupa do corpo. Em Londres, morou num hotel e Chas Chandler começou a procurar músicos para companharem Jimi, que ansiava por uma carreira solo. Não aguentava mais tocar "lá atrás". Testou mais de 50 músicos até selecionar os londrinos Noel Redding (baixo) e Mitch Mitchell (bateria) e formar o Experience.
Jimi Hendrix estourou na Inglaterra e em toda a Europa. Entre seus fãs estava Paul McCartney que ligou para John  Philips do The Mamas & The Papas e produtor do festival de Monterey, sugerindo o nome de Hendrix para participar do festival, em 1967. Hendrix tocou e virou estrela.
 Uma estrela cheia de prestígio e sem dinheiro. Apesar de Chas Chandler se virar (foi um grande amigo de Jimi) um contrato que o músico assinara lá atrás (1965) meio bêbado num balcão de bar o tornou escravo de um sujeito que era juridicamente dono de toda a sua obra.
Ainda assim, conseguiu construir seu sonho. O estúdio Electric Lady que fica na 52 West 8th Street, em Greenwich Village, Nova Iorque. O estúdio é um dos melhores da cidade e continua muito ativo.
Jimi mal chegou a usá-lo. Ao contrário do que muita gente pensa ele não usava heroína. Gostava de LSD e um pouco de bebiba, mas morreu em decorrência de traquilizantes que o fizeram vomitar dormindo. 
É isso aí. Valeu, Jimi!