quinta-feira, 18 de junho de 2015

No auge da violência Prefeitura de Niterói decide maquiar rua de Icaraí

Um amigo ia se mudar da Tijuca para Icaraí uns meses atrás. Foi convencido de que seria uma tolice quando leu no jornal que a cidade está praticamente (?) sem emergência em hospitais públicos e os poucos particulares que sobraram vivem superlotados. Esse foi só um dos motivos que fez o meu amigo capitular. O outro, a violência em que a cidade está afundada graças a impotência da Prefeitura em conseguir convencer o governador a aumentar o efetivo da PM que, ainda por cima, divide com a cidade de Maricá.

Todo mundo sabe que a escória humana do Rio pegou bombas e bagagens e mudou para cá fugindo das UPPs. Niterói está com todas as favelas tomadas por facções da guerrilha urbana que pouca gente quer enxergar, especialmente os políticos de ocasião. Desprestigiado, o prefeito de Niterói pede a população o ajude. Ajudar como?

Só pode ser deboche. Diante da crise na saúde, na segurança, no controle urbano, a Prefeitura anunciou que vai fazer uma maquiagem na rua coronel Moreira César, eixo comercial de Icaraí. Vai torrar dinheiro em perfumaria e, para agravar, fechará ruas em pontos cruciais complicando ainda mais o caótico trânsito da cidade (des) graças a incompetência ampla, geral e irrestrita das autoridades (?) do trânsito que só sabem fazer três coisas: multar, multar e multar. A Prefeitura de Niterói é PhD em multas.

Na mesma Moreira César e em todas as ruas da Zona Sul, famílias vivem nas ruas, vindas da periferia do Rio sem que a Prefeitura daqui faça alguma coisa. Ou melhor, não faz NADA. Mantém até uma secretaria de nome pomposo, a tal Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, que nada faz e a mendicância avança pela cidade.

Para piorar o prefeito anunciou que vai armar a Guarda Municipal, surfando num decreto da presidente (?) Dilma que autorizou o bangue bangue oficial. A Prefeitura vai por nas mãos de uma guarda despreparada até para prender passarinhos, armas de grosso calibre. É exagero dizer que vem aí uma milícia oficial?

Pão e circo. Gente morrendo sem hospitais, gente morrendo a bala, gente jogada nas ruas, cidade num apagão administrativo, no meio disso, o circo da Moreira César que vai ser maquiada para se transformar numa via “coxinha”.

Parece filme de Luis Buñuel.