terça-feira, 11 de agosto de 2015

Um dínamo que se chama Edilene Baldam

Conheci a Edilene Baldam há uns anos atrás. Me chamou atenção em sua página no Facebook a chamada “The Police 0001!!!”, assim mesmo, com três exclamações. Com certeza ela é a fã mais visceral, dedicada, apaixonada pelo Police que conheço. O tempo foi passando e comecei a notar que o brilho da Edilene, sua vibração, otimismo, amor pela vida vai muito mais além de uma banda de rock. São um exemplo de existência.

Tive o privilégio de conhecê-la pessoalmente numa tarde de autógrafos de meu livro “A Onda Maldita – Como nasceu a Fluminense FM”, em 2012, que ela me honrou com a sua adorável presença. Quando a vi entrar na Sala de Cultura Leila Diniz, na Imprensa Oficial em Niterói, não precisou dizer o nome. O sorriso, a vibração, a simpatia, a generosidade, só podiam ser da Edilene . E eram. Para a felicidade geral.

Em menos de 10 minutos ela estava conversando com todo mundo, distribuindo a sua infinita energia gerada por um dínamo interior capaz de reverter muitas (todas?) as adversidades dessa vida. Se no Brasil existissem 10 milhões de Edilenes Baldam a nossa história seria outra. Seria lírica, lúdica, honrada mas, sobretudo, seria vitoriosa.

Edilene é uma das figuras mais queridas e populares do Facebook, onde não tem o menor constrangimento de postar fotos de ingressos para todos os dias do Rock in Rio. Todos! Visita as páginas, opina, dá força, estimula, incentiva. Foi a todos os dias do Lollapalooza em São Paulo, vai sempre ao Circo Voador, Fundição Progresso, praias, piscinas, sol, mar, sul, chuva. Caramba! É obvio que como todos nós ela deve ter seus momentos mais aflitos mas a sua capacidade de passar por cima graças ao seu gerador de alegria é impressionante.

Diz a lenda que ela decorou um quarto de sua casa só com memoralibia, mais posters e fotos do Police. Sabe quem me disse? Caiam para trás, meus amigos. Quem me disse foi o próprio Andy Summers em 2008, que conheceu a Edilene e de quem virou fã. Outro fã que ela ganhou no universo da musica foi o Roberto Menescal que me disse “impressionante o astral daquela garota”.

Pouco tempo atrás ela estava indo para São Paulo ver o Andy Summers tocar e eu pedi um favor. Queria que ela confirmasse uma informação que li, para mim ultra preciosa, de que quando chegou a Londres para morar, em 1967, Jimi Hendrix teria usado uma guitarra Fender Stratocaster emprestada pelo Andy Summers. Ela me respondeu “deixe comigo, vou perguntar na lata”.

Só que houve um desencontro e a pergunta continua no ar, mas estou certo de que a Edilene rapidamente vai resolver essa minha consumição. Aliás, Edilene, se você estiver lendo esse texto, se o Andy confirmar a história pergunte onde foi parar a guitarra que, neste caso, tornou-se sagrada.

Garota, que bom! Que bom que o planeta abriga pessoas mágicas como você. Peço apenas que continue assim, se movendo, movimentando, prestigiando, observando, valorizando cada minuto que temos aqui nessa bola azul, sob a infinita benção de Deus. Você é fundamental para que uma pequena multidão (sua família, amigos, colegas, o povo da internet) continue acreditando que tudo pode dar certo e que, como diz uma amiga minha, “não há solução onde não existe problema”.

Viva a Edilene Baldam!