quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Feliz Natal!

Meu Natal é totalmente lúdico. Tem neve, Papai Noel com trenó puxado por renas sob um céu azul-petróleo bem frio, crianças as gargalhadas fazendo guerra de bolas de neve e, claro, os sinais de Deus. Quais sinais? Não sei porque Deus sinaliza o tempo todo, de todas as formas, caminhos, descaminhos. Deus é Deus.
Ouvi um cidadão dizer para a sua amiga/mulher/namorada/amasia/não sei, algo do tipo “acho o Natal uma boçalidade”. Não sou de me meter na conversa dos outros, mas por que uma boçalidade? Perguntei a mim mesmo enquanto caminhava numa rua qualquer.
Nesse meu rápido rali à pé notei, sim, uma euforia meio histérica nas pessoas, mas preferi valorizar as vitrines das lojas que, não sei se por coincidência ou por regulamento fashion, estão mais tradicionais. Numa delas, modernosa de janeiro a dezembro, havia até um presépio completo, com vários populares tirando fotos com seus celulares.
Lembrei ainda do enorme texto de Natal que escrevi ontem para publicar aqui na Coluna mas que, por razões que ainda desconheço (acho que a mão da autocrítica estava pesada demais) acabei deletando. Lembro de cenas envolvendo flocos de neve, cachorros, crianças e pinheiros, ou seja, um cenário nada tropical.
Da mesma maneira que o hemisfério norte do planeta jamais conseguirá fazer um carnaval como nós fazemos, aqui jamais conseguiremos concretizar o imaginário do Natal como eles conseguem. Por que? Cadê a neve? Cadê o frio? Cadê as renas? Cadê...enfim, cadê, entendeu?
Você não vai encontrar nessas frases nenhuma sacada genial, mas apenas o que alguns escritores, filósofos e pessoas anônimas sentiram e escreveram sobre o Natal. Uma data tão poderosa que só o silêncio da contemplação sabe explicar.
"O Natal é um tempo de benevolência, perdão, generosidade e alegria. A única época que conheço, no calendário do ano, em que homens e mulheres parecem, de comum acordo, abrir livremente seus corações."(Charles Dickens)
"Natal é tempo de encontros e reencontros, procure ser e fazer feliz. É tudo o que importa! (L. Bonotto)
"Será que diante de tantas evidências de felicidade seria utópico conseguirmos fazer do Natal uma data que se repetisse, trezentas e sessenta e cinco vezes por ano?" (Ivan Teorilang).
"Lembre-se, se o Natal não é achado em seu coração você não o encontrará debaixo da árvore" (Charlotte Carpenter).
"Ainda que se percam outras coisas ao longo dos anos, mantenhamos o Natal como algo brilhante. Regressemos à nossa fé infantil." (Grace Noll Crowel).
"A única pessoa realmente cega na época de Natal é aquela que não têm o Natal em seu coração." (Helen Keller).
"Há mais, muito mais, para o Natal do que luz de vela e alegria; o espírito de doce amizade que brilha todo o ano. É consideração e bondade, é a esperança renascida novamente, para a paz, para entendimento, e para benevolência dos homens." (Autor Desconhecido).
"Paz e generosidade e ter graça é compreender o verdadeiro significado de Natal." (Calvin Coolidge).
"Bendita seja a data que une a todo mundo numa conspiração de amor." (Hamilton Wright Mabi).
"É tempo de reflexão, vejamos o que construímos de bom para a humanidade e, em todo Natal, façamos esta reflexão para que possamos construir um mundo melhor." (Bruno Calil Fonseca).