sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Livros da Semana - 19

                                                      
Ouça, baixe, divulgue: http://cafofodolam.podomatic.com/entry/2016-10-05T05_27_22-07_00


Livrarias pesquisadas:

Amazon – www.amazon.com.br
Travessa – www.travessa.com.br
Estante Virtual - www.estantevirtual.com.br
Saraiva - www.saraiva.com.br

A Espiã

Paulo Coelho

185 páginas

Dizem que Mata Hari era um tesão, uma das mulheres mais azaradas de sua época: bailarina exótica que chocava e encantava plateias ao ficar nua nos palcos, confidente e amante dos homens mais ricos e poderosos de seu tempo.

Enigmática, despertava ciúme e inveja das damas da aristocracia parisiense. Ela ousou libertar-se do moralismo e dos costumes provincianos das primeiras décadas do século XX e pagou caro por isso: em 1917, foi executada pelo pelotão de fuzilamento do exército francês, sob alegação de espionagem.

Neste romance, Paulo Coelho revisita a vida dessa mulher extraordinária, num texto lascivo, curioso e banhado de volúpia.
Uma Herança Incômoda
Genes, Raça e História Humana
Nicholas Wade
336 páginas
Um dos mais polêmicos livros lançados nos últimos anos nos Estados Unidos, “Uma herança incômoda” trata de um tema que se tornou tabu nos meios científicos e acadêmicos: a relação entre genética, raças e instituições humanas.

O jornalista britânico Nicholas Wade, especialista em ciência, faz um apanhado das pesquisas mais avançadas sobre o genoma para demonstrar que, ao contrário do que foi firmado por certo consenso, a evolução do ser humano não estagnou na pré-história. Ela continuou ao longo dos anos e seguiu influindo não apenas na formação das raças, como também na construção das sociedades e culturas – fenômeno que daria uma nova explicação para as diferenças entre os povos.

Acusado de difundir conceitos perniciosos, Wade, porém, rechaça no livro qualquer ideia de superioridade de uma raça sobre as demais e faz um duro ataque às teorias eugenistas. O livro também recebeu apoio de cientistas, como o biólogo Edward O. Wilson, que declarou: “Nicholas Wade une a virtude de dizer a verdade sem medo à celebração da diversidade genética como uma força da humanidade, criando assim um foro de debates apropriado para o século XXI”.
                                                       
Sonata em Punk Rock

Babi Dewet
304 páginas
Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano.
Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.
No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar.

Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.
                                                        
Os Judeus Que Construíram O Brasil

Fontes Inéditas Para Uma Nova Visão da História
Anita Novinsky, Daniela Levy, Eneida Ribeiro e Lina Gorestein
305 páginas
Um capítulo escondido do Brasil. Uma passagem mantida em sigilo. Um passado que envergonha a todos: a fatídica história da Inquisição portuguesa que transferiu para a colônia a perseguição aos judeus. Discriminação, racismo, mortes.
Esta é a grande revelação que traz o livro Os judeus que construíram o Brasil – fontes inéditas para uma nova visão da história. Resultado de pesquisas realizadas em todo o mundo e, em especial, no até então secreto arquivo do Santo Ofício da Inquisição, esta obra mostra como os judeus e os cristãos novos foram perseguidos nos séculos XVI, XVII e XVIII.
A Inquisição contra os judeus foi autorizada pelo Papa e começou em 1478 na Espanha e em 1536 em Portugal. Mas só no final do século XVI, em 1591, os portugueses mandaram quadros para o Brasil a fim de vigiar e perseguir os judeus. Distante da Europa, o país foi o destino de muitos convertidos, os cristãos-novos.
Neste livro, as historiadoras Anita Novinsky, Daniela Levy, Eneide Ribeiro e Lina Gorenstein contam como a Inquisição prendeu mais de mil pessoas, sendo que 29 morreram, além de provocar o desaparecimento de outras mil e de arruinar com famílias em todo o país.
Ainda estou aqui

296 pag

Eunice Paiva é uma mulher de muitas vidas. Casada com o deputado Rubens Paiva, esteve ao seu lado quando foi cassado e exilado, em 1964.
Mãe de cinco filhos, passou a criá-los sozinha quando, em 1971, o marido foi preso por agentes da ditadura, a seguir torturado e morto. Em meio à dor, ela se reinventou. Voltou a estudar, tornou-se advogada, defensora dos direitos indígenas. Nunca chorou na frente das câmeras.

Ao falar de Eunice, e de sua última luta, desta vez contra o Alzheimer, Marcelo Rubens Paiva fala também da memória, da infância e do filho. E mergulha num momento negro da história recente brasileira para contar - e tentar entender - o que de fato ocorreu com Rubens Paiva, seu pai, naquele janeiro de 1971.