sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Atitudes de Ano Novo

1 – Desvie dos chamados manuais de mudanças necessárias nesse início de ano novo. É um conceito velho, falido, arcaico, totalmente inútil. Surfe suas ondas na medida do seu possível e não no que determinam regras, protocolos, regulamentos.

2 – Ação. Sabe o “Luz, Câmera, Ação” do Cinema? Ando meio cheio de tanta luz, tanta câmera. Falta ação. Agir é crucial.

3 – O povo é sábio quando diz que “passarinho quando anda com morcego acaba dormindo de cabeça pra baixo”. Pessoas tóxicas, plantadas 100 passos atrás? Delete. Para que importar micro catástrofes existenciais? Precisamos de gente que nos faça ouvir porque em muitos momentos ficamos roucos de tanto falar para desertos inférteis.

4 – Sabe aquele livro? Leia. Sabe aquela música? Ouça. Sabe aquele filme? Assista. Sabe aquele site? Acesse. Sabe aquela paixonite? Pegue. Rápido, logo. Como diz um amigo “agora enquanto ainda”.

5 - Está cercado de pessoas atrasadas, invejosas, chupa cabras que cultuam o mofo, o velho, o inútil? Detone.

6 – Foi pouco a praia em 2016? Por que? Perdeu a fé de que a água salgada, piscinão de iodo, faz bem ao sistema nervoso? Que tal voltar aos mergulhos, ao papo vadio na beira do mar com amigos, conhecidos?

7 – E o trabalho? Saco cheio? Não dá para dar uma de herói. Tarzã nunca trocou de cipó sem ter outro na outra mão. Mude de trabalho, mas garanta o novo para não se estabacar na floresta.

8 – E o amor? Bom, o amor é sagrado, radicalmente pessoal e intransferível. Só quem sente e vive, sabe de que tipo é. Não existe o padrão Henry Miller/Anais Nin e muito menos Chapeuzinho Vermelho/Lobo Mau/Vovozinha. Cada amor tem uma cor, um aroma, uma luz, uma canção.

9 – Família. Se achar necessário, anistie todo mundo. Vale a pena. Perdão é uma palavra poderosa. Vale dar a décima segunda chance.

10 – Fique atento aos bons sinais. De todos os cantos, todas as áreas. Preste atenção à saúde, arranje um bom clínico que tenha o seu plano de saúde e deixe o barco ir, mar a dentro, vida a fora. Sempre.

Feliz 2017.