quarta-feira, 8 de março de 2017

Nos tempos em que havia chuva


- É verdade que o verão por aqui era mais ameno?

- Até meados dos anos 1980, o verão no sudeste do Brasil tinha calor, brisa e chuva em quase todo o fim de tarde. Você via a chuva chegar pelo mar, trazida, pelo vento sudoeste, com raios, trovões, vento, mas era linda.

- Mas hoje ainda chove.

- É diferente. Hoje há pancadas que inundam mas não trazem conforto, a temperatura não cai, não há mais cheiro de terra molhada.

- Por que?

-Para começar estão acabando com a Amazônia, por isso eu defendo há tempos a internacionalização e o fechamento da região por tropas da ONU. É um patrimônio ambiental que o Brasil não merece e nem tem condições morais de manter. Qualquer um invade, derruba árvores, vende. A Amazônia deveria estar com os índios, sob vigilância da comunidade internacional.

- O que a Amazônia tem a ver com a falta de chuvas no Sudeste?

- O “corredor de águas” Amazônia - Sudeste foi assassinado.

- Como assim?

- Os ventos da Amazônia não devastada equilibravam o ambiente aqui. Mas além de desmatarem a Amazônia acabaram com as áreas verdes, que dão lugar a favelas e mansões nas cidades. Até as serras fluminenses estão quentes e quem pode compra ar condicionado. As encostas estão ocupadas pelas construções, os rios estão assoreados.
A população elege políticos escroques que trocam áreas verdes por votos. Do alto dá para ver o Rio com as encostas tomadas. Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo também. O governo federal negocia cargos com bandidos e com isso o meio ambiente é vendido a luz do dia.

- Há esperança?


- Pode ser.