sexta-feira, 5 de maio de 2017

Pênis & Nádegas

Alheio ao miserê econômico, pelo menos três setores lucram cada vez mais: bancos, tráfico de drogas e sindicatos/centrais sindicais. A tráfico engole o país e não poupa nem o interior do interior da nação. Sindicatos e central sindicais nadam em dinheiro, por isso se reproduzem como ratos. Mas os bancos...aaaah, ninguém supera os lucros estúpidos dos bancos.

Acariciados pelos governos desde sempre, os bancos fazem o que bem entendem. Acabei de sair de uma longa e pacata fila (vida de gato, cantou Zé Ramalho) de caixas eletrônicos de uma agência bancária (ar condicionado desligado por economia) e pensei na nova decisão dos banqueiros, cagando e andando pro governo, bem no estilo “bancos entram com o pênis e os cidadãos com as nádegas”.

Agora você não pode mais pagar uma pessoa com cheque para sacar na agência mais próxima. Se o sujeito fez recebeu o cheque em Brás de Pina, mas a agência do cheque (do mesmo banco) fica em Copacabana ele vai ter que ir a Copacabana sacar. Entendeu? Perguntei ao banco por que e o banco respondeu que é “para segurança dos clientes”. Como assim?

Todo mundo sabe que pagar cheques é menos uma atribuição (mais economia, mais bancários demitidos), por isso os bancos partiram para a novidade. O que me horroriza é ver bancários defendendo o argumento da “segurança” quando na verdade a medida só piora. Se eu, cliente, em vez de pagar mil reais com cheque terei que ir a agência sacar os mil no caixa eletrônico, é mais seguro para mim? É mais seguro sair com mil pratas de uma agência bancária em plena guerra civil do Estado do Rio?

Banco ganha com cada folha de talão de cheque, cada serviço, cada centavo que você precisa. E como o “gado”, vulgo povo, não tem com quem reclamar, fica esse bunda com bunda que aí está. Será que isso aqui é mesmo terra de Lúcio Flávio Vilar Lírio (https://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%BAcio_Fl%C3%A1vio_Vilar_L%C3%ADrio) e que se dane o avião?

Pois é.